19 de janeiro de 2017

Dieta na gravidez? Paleolitica?

Por Jhersyka Teixeira

Dieta, paleo, lowcarb carb,Imagem: IlustraçãoDieta na gravidez? Paleolitica?

Sempre que se ouve a palavra “dieta” logo isso é correlacionado com perda de peso, ganho de massa ou tratamento de alguma doença, mas dificilmente esta palavra é relacionada com GESTAÇÃO. Até porque, para muitas mulheres esse período é o momento de ser livre, é o momento de comer tudo o que desejar e não ser julgada por ninguém e é o período de se entregar a todos os desejos culinários mais “engordantes” que alguém possa imaginar sem se sentir culpada, afinal o ganho de peso é inevitável, não é? Mas será que essa conduta é saudável? Será mesmo que qualquer maneira de se alimentar nesse período vai realmente gerar um novo ser humano saudável? A resposta com certeza é não. O período da gestação é crucial para uma saudável formação do feto e um bom desenvolvimento e crescimento do bebê. Uma dieta materna realmente saudável é de extrema importância para a criança, assim como para a mãe, pois evitará determinadas complicações que são causadas pela má alimentação. Mas e quanto à dieta paleolítica, será que ela é boa para este momento tão importante e especial? Como uma dieta baseada em alimentos naturais orgânicos, carne, peixe, frango, ovos, vegetais, frutas, azeite de oliva, pode ser prejudicial para um bebê em formação. Uma dieta limpa, sem industrializados, sem refrigerantes, sem biscoitos recheados, sem sorvetes ricos em gordura hidrogenada, sem óleos vegetais inflamatórios, sem farináceos, é a melhor opção para uma gravidez saudável.Porém, vale salientar que o estado nutricional materno antes e durante a gravidez influencia diretamente no prognóstico da gestação. Sua inadequação tem impacto sobre o crescimento e o desenvolvimento do bebê, pois a gestação e a lactação aumentam as necessidades nutricionais da mulher, o que não significa que deve-se “comer por dois”, muito pelo contrário, deve ser feito um ajuste na dieta para que as necessidades sejam supridas e o ganho peso seja sempre mantido dentro aceitável. Apenas um nutricionista pode fazer os ajustes necessários e orientar de forma mais precisa sobre este momento tão especial.  Se você deseja aderir à dieta paleo ou até a dieta paleo-low carb durante a gravidez é importante que se consulte um nutricionista dessa especialidade para que ele possa te orientar de forma individualizada, mas de forma geral vou deixar algumas orientações:

Consuma frutas, verduras e legumes frescos em abundância;

Consuma ovos de galinha caipira;

Use azeite (não para cozinhar);

Use óleo de coco diariamente;

Evite alimentos industrializados, bebidas alcóolicas, refrigerantes;

Diminua ou até exclua o consumo de açúcar e adoçantes.

Jhersyka Teixeira
Nutricionista CRN-3 40363
(11) 97959-0671
Bem Estar Cotidiano Saúde
17 de janeiro de 2017

Nossa maior intervenção foi reinventar.

Por Danielle Miranda
Danielle Miranda conta sobre a importância de se reinventar para alcançar evoluções com a Manu, sua filha, diagnosticada autosta.

Imagem: Acervo – Nossa maior intervenção, foi reinventar.

Mais um ano que se inicia,  um ciclo que se fecha e parece que um filme nos passa na cabeça…

Relembramos momentos bons e outros não tão bons, atitudes que tomamos e outras que sequer ousamos.

O importante mesmo é olhar para trás com gratidão e seguir em frente com sabedoria.

Este ano nos reinventamos!

Mudamos a abordagem, voltamos para a escola regular, trocamos as terapias, os medicamentos… investi em estudos e abri um leque maior para a aprendizagem, por isso, volto a afirmar que a cada escolha temos que fazer uma renúncia.

É claro que como mãe, sempre pairam pensamentos como:

poderia ter feito mais!! ou aquele:  

– poderia ter feito diferente…

 mas acredite, tentei fazer o melhor,  o meu melhor! Talvez possa ter nos faltado tempo, oportunidade, dinheiro, risos,  mas nunca a vontade!!

Foi um ano pessoalmente conturbado, mas tivemos grandes avanços!

Manu cresceu, ahhh como cresceu! Amadureceu, e por consequência surgiram as evoluções tímidas , mas chegaram, e isso que importa. 

É fato que com isso os desafios também são outros, mas juntas, faremos mais uma grande história!

Para quem não se lembra de nós, de uma olhada neste texto, ou neste aqui. No blog há vários outros textos  contando um pouco de nossa rotina. Ano passado enviei poucos textos pois foi um ano muito corrido para nossa família, porém tentarei enviar mais este ano.   

E que venha 2017!

 

Danielle Miranda

Bem Estar Comportamento
12 de janeiro de 2017

Comece o ano dizendo NÃO ao que te incomoda!

Por Rose Guedes
Assertividade, TCC, Falar, autoestima

Imagem – Ilustração Comece o ano dizendo NÃO ao que te incomoda!

Pensar que usar da assertividade na medida certa seja algo duro ou egoísta, não é verdade! Fazer isso sem agredir os outros é a atitude mais eficaz para defender os nossos direitos pessoais e emocionais, sabendo respeitar, ambas as partes.

Incomoda sim, que o outro invada os espaços pessoais, que coloque o outro em situação vulnerável. É preciso falar o que me incomoda para que você saiba onde estão os meus limites e que você saiba que não deve cruzar essa linha se você gosta de mim de verdade. Agirmos de forma assertiva faz parte de um processo de boa autoestima do ser humano. Saber interagir de forma respeitosa em contextos sociais é a chave para uma vida plena. Claro que não podemos ser agressivos, reclamando os nossos direitos como se estivéssemos em uma selva. A chave está no equilíbrio, no respeito, no saber fazer…

Certamente necessidade de agradar a todos é a pior fonte de estresse e sofrimento pessoal… A prática não é saudável o desgaste pessoal ao qual se pode chegar, sem dúvida, é enorme.

Tenha coragem de cortar o fio que amarra você à necessidade de aprovação e realização. Pensar por si mesmo e a aceitar que o resto das pessoas não precisam compartilhar a sua visão de mundo, a sua forma de entender a felicidade.

Passe a introduzir em seu cotidiano os verbos como “quero”, “gosto”, “me sinto”. Tome consciência da emoção ou sentimento que aparece em você cada vez que você faz uso deles. Se você experimenta uma situação confusa, não passe por cima disto. Se alguma coisa o incomoda, preocupa ou inquieta, esclareça-o “na hora”.
Reconheça o que as pessoas têm de positivo: ofereça incentivos a condutas que o enriquecem e que você considera positivas.

Quando você experimenta uma situação que o enche de ira ou raiva, tome um pouco de ar, respire e traduza em palavras cada emoção fazendo uso adequado de frases como “estou desconfortável porque…”, “eu me sinto ofendido porque…”
Não use criticas, e muito menos de ironias. Fale dos seus direitos e necessidades, ouça os outros e não tenha medo de se defender. Respeite a si mesmo, assim como aos outros. Seja inteligente, seja digno.
A assertividade é o que nos conforta, e quando usada com sabedoria é a melhor energia da qual a sua autoestima poderá se alimentar.

Se você está com dificuldades de ações como essa, busque ajuda de um profissional psicólogo.

ROSE GUEDES
PSICÓLOGA CLÍNICA – CRP 06/11210-8
TERAPÊUTICA COGNITIVO-COMPORTAMENTAL
RESP. TÉCNICA: INSTITUTO FLOW IR

Bem Estar Cotidiano
Página 1 de 551234