23 de agosto de 2016

Parabéns aos psicólogos do Brasil

Por Tatiane Sanches Besenbruch

psicologo

Estamos na semana do psicólogo, afinal dia 27 de agosto é o dia nacional de comemoração aos profissionais da psicologia.

Neste ano estamos comemorando com um sabor diferente pois percebemos a cada dia o quão essa profissão vem ganhando espaço nos mais diversos contextos.

Ontem encerraram os jogos olímpicos, nosso país bateu recorde em medalhas, muitas revelações esportivas e muita gratidão ao trabalho do psicólogo no esporte.

Como já é sabido o trabalho do psicólogo pode ser de grande valia em esportes de alto rendimento, sendo ativo na equipe como qualquer outro integrante, seja ele técnico, preparador físico, fisioterapeuta ente outros.

Esportes de alto rendimento, defender uma grande equipe, time ou seu país é algo que pode pesar muito a camisa do atleta e a preparação emocional deve ser algo como se preparar fisicamente.

No Brasil a preparação emocional dos atletas ainda não está tão presente como já é em muitos país e isso traz grandes perdas aos atletas. O caso de Diego Hipólyto serve para demonstrar a importância de um bom preparo psicológico, pois depois de muitas perdas inesperadas seu psicológico ficou muito abalado e a depressão acabou por lhe acertar. Rendeu-se ao trabalho de uma psicóloga que com todo respaldo da ciência lhe deu ferramentas para enfrentar tudo que estava vivendo.

Muitos profissionais nestes jogos olímpicos falaram do uso de psicólogos em seu dia a dia, muito atores também vem falando sobre sua saúde mental seja por prevenção ou para tratamento. Isso é muito positivo, pois ninguém costuma negar diagnóstico e tratamento de hipertensão, diabetes, linfomas e com a saúde mental não pode ser diferente. Olhar para ela pensando em prevenção e fortalecimento só nos traz benefícios.

Parabéns aos psicólogos brasileiros que aos poucos ganham espaço, mostrando o quanto seu trabalho pode mudar a vida das pessoas. Parabéns aos atletas e seres humanos comuns que buscam um psicólogo acreditando em seu trabalho tanto na prevenção como no tratamento de sua saúde mental/emocional.

Tatiane Sanches Besenbruch
 Coach e Acompanhante terapêutico 
Comportamento Intercâmbio Social Saúde
18 de agosto de 2016

10 PASSOS PARA COMEÇAR A FAZER ATIVIDADE FÍSICA E NÃO PARAR MAIS

Por Lucas Montagnana
aqui vai algumas técnicas para a regularidade e motivação interna em 10 passos simples

Imagem- Ilustração: 10 PASSOS PARA COMEÇAR A FAZER ATIVIDADE FÍSICA E NÃO PARAR MAIS

Lucas, é chato ficar treinando sem ver resultados! Eu sei, eu sei, então vou lhe ensinar a notar os resultados! É comum mirarmos apenas no resultado final, mas essa é uma maneira errada de se motivar no dia-a-dia, porque o resultado final VIRÁ, MAS NO FINAL! Vai demorar um pouco mais, então aqui vai a técnica para a regularidade e motivação interna em 10 passos simples

1- QUEBRE ESSE GRANDE RESULTADO FINAL EM PEQUENOS BENEFÍCIOS. Preste atenção em estar conseguindo carregar mais peso, estar conseguindo caminhar mais sem se cansar tanto, no meio da caminhada consegue dar algumas corridas, e todos os outros “pequenos” ganhos;

2 – DESCONFIE DE PROMESSAS MILAGROSAS. ENTENDA e coloque um prazo REAL para o seu objetivo. PENSE comigo, se você está “cultivando” essa barriguinha incômoda, por alguns anos, jura mesmo que a perderá em uma semana? E todos os produtos que prometem a perda dela nesse pouquíssimo tempo não contam o preço que você terá de pagar por isso.;

3 – NÃO DEMORA PARA TER RESULTADOS! Isso é um mito. Fazendo exercício de forma regular você irá com certeza notar diferenças, UM MÊS, isso é muito pouco para alguém que tem como expectativa de vida 70 e poucos anos concorda?;

4 – SEMPRE SE COMPARE COM VOCÊ MESMO, é bom escrever isso. É COMUM nós nos compararmos com os outros, e geralmente nos comparamos com quem treina a mais tempo, ISSO NÃO É LÓGICO. Se a pessoa treina a mais tempo, ela terá melhores resultados. Se comparando à você mesmo, irá notar claramente onde está e onde estava. LEMBRE-SE, não se compare com você há 10 anos atrás, o tempo é muito longo, se compare à você nessa sua retomada aos exercícios;

5 – NÃO FAÇA ACORDOS COM VOCÊ MESMO! Sabe aquele dia frio que você pensa: “Poxa, to fazendo tudo tão certinho, vou correr mais tarde.” BÉÉÉÉM (isso é uma campainha), seu subconsciente está tentando te enganar. Aí na hora do almoço você ainda não comeu, a tarde está muito sol, depois tem happy hour, de noite tô cansado (a) e vem o famoso: “AMANHÃ EU FAÇO”, e esse amanhã já dura alguns anos certo?!;

6 – CONTE PARA AS PESSOAS CERTAS! Essa dica é muito importante. Sempre que começamos algo novo, seja qual projeto for, estamos assumindo um risco, e é muito bom ter uma palavra de incentivo nessas horas. Todos nós, infelizmente, temos pessoas à nossa volta que não nos apoiam, as vezes não é pessoal, é o jeito da pessoa. Aquele amigo que quando você conta que começou à fazer exercício diz: “De novo? Dessa vez vai se dedicar?”, ou aquele parente que “brinca”: – esse aí é o sem fim, vive começando e nunca termina. NÃO CONTE PARA ESSAS PESSOAS nenhum projeto até você estar confiante para não se importar;

7 – POR OUTRO LADO TEMOS O GRUPO DOS MOTIVADORES. Aquelas pessoas que estão ao seu redor e não importa o assunto, elas te enchem de orgulho próprio. “Comecei a fazer academia!”, – que legal, e tá curtindo? Esteja atento (a) à essas pessoas e busque contar as novidades para elas;

8 – PROCURE ALGO QUE GOSTE DE FAZER. Essa é clássica, mas é verdade. Realmente os benefícios do treinamento resistido são imensos e é indicado que você pratique musculação, mas em conjunto com ela, você pode fazer caminhadas ou corridas em algum lugar bacana na sua cidade, pode convidar esse seu amigo motivador que anunciamos no tópico de cima para ir junto, e pode inovar, não sei, procure um lugar que tenha tecido acrobático, piscina, trapézio, seja criativo, mas busque algo divertido também;

9 – CONVIDE PESSOAS QUE VOCÊ GOSTA. Essa dica irá fazer bem no mínimo para duas pessoas, você e quem você convidou, NO MÍNIMO. Veja, pode ser que ela não aceite (provável), mas não se zangue ou magoe, continue convidando quando achar conveniente. Pense em você antes de começar, aquelas pessoas correndo felizes, parecendo atores de comercial de margarina, tudo é feliz, tudo é bonito, chega a irritar tanta felicidade não é mesmo? Pois é você é o chato do comercial agora, hahahaha, mas isso é bom, apenas faça uma aproximação cuidadosa do animal selvagem preguiçosus neandertales;

10 – QUEIRA MUDAR! Já dizia um provérbio chinês, querer curar-se faz parte da cura. É isso mesmo, a atividade física lhe trará benefícios infindáveis, além de ser uma excelente válvula de escape para o estresse da vida. Já parou pra pensar em quantas desculpas você já se deu pra alguma coisa na vida? Você gostaria de ser conhecido (a) como aquela pessoa que realiza tudo o que se propõe? Então pense que é possível, já é um enorme passo.

No próximo texto espero sugestões sobre o que gostariam de ler, me manda um recado em alguma das minhas redes sociais! Abraços.

LUCAS MONTAGNANA
CREF 094102-G/SP
Contato: (19)99809-8508

 

 

Comportamento Saúde
16 de agosto de 2016

Controlando quadros de dores com atividade física

Por Priscilla Pavanelli
 Controlando quadros de dores com atividade física, veja o que a fisioterapeuta Priscilla Pavanelli tem o que falar

Imagem- Ilustração: Controlando quadros de dores com atividade física

Diariamente milhares de pessoas procuram o serviço de ortopedia e fisioterapia apresentando quadros dores articulares e musculares. Geralmente, estas queixas estão associadas a sobrecargas e maus hábitos ocupacionais além, de sobrepeso e sedentarismo.

Muitos estudos comprovam e, a prática do dia a dia nos mostra cada vez mais, a atividade física como importante aliada no tratamento, manutenção e prevenção de quadros de dores.

No Brasil e em outros países como a França, alguns médicos estão inclusive prescrevendo a atividade física como forma de tratamento, substituindo ou complementando o tratamento medicamentoso.

Um amigo costuma dizer que a atividade física para o paciente com queixa de dor não se trata de luxo, mas sim de uma necessidade.

Dito isso, a pergunta mais frequente que surge é com relação à atividade adequada.

Hoje, existe uma grande variedade de opções, que em minha opinião, facilita a identificação com alguma atividade, garantindo maior adesão e diminuindo as chances de desistência.

Identificar-se com a atividade praticada é um dos fatores principais. Outro fator que pode incentivar é convidar um familiar ou colega para praticar.

Com relação ao tipo de atividade adequada, cada caso deve ser discutido e avaliado individualmente, mas quando se trata de queixa de dor, recomendo a procura por atividades físicas de baixo impacto como, caminhadas em locais planos, pedalar, yoga, pilates, tai chi, hidroginástica e natação.

Quando os benefícios começam a surgir e os quadros de dores a diminuir, a prática de atividade física flui de forma natural e prazerosa. Mas, para que possamos observar a eficácia no controle da dor, a prática precisa se tornar parte da rotina e ser realizada ao menos 2 vezes na semana.

Pratique e sinta os resultados.

Fisioterapeuta
Bem Estar Intercâmbio Social Saúde
Página 1 de 411234